SINTTEL/FENATTEL repudiam premissas da VIVO para o Acordo Coletivo e PPR 2022/2024

 Atenção Trabalhadores e Trabalhadoras da VIVO/TELEFÔNICA

Após a realização das assembleias com os trabalhadores para composição da pauta de reivindicações, a comissão dos sindicatos filiados à FENATTEL iniciou as negociações do Acordo Coletivo e do PPR 2022/2024 com a Vivo. A reunião online aconteceu na segunda-feira (04/07). 


Como acontece todos os anos, a empresa fez a apresentação dos dados financeiros, pontos positivos e negativos e enfatizou as dificuldades para atender as reivindicações dos trabalhadores. 

Só que esqueceu de mencionar que a Vivo é uma das líderes entre as operadoras em fibra ótica fixa no país, detém 38% dos clientes de celulares no Brasil somando quase 97 milhões. E que 26% dos acessos fixos de serviços são também da Vivo, ou seja, a empresa chora de barriga cheia.

Em seguida, a VIVO apresentou as premissas para as negociações deste ano já apontando precarizações: 
- Reajuste salarial parcelado, não contemplando o índice do INPC do período 
-VR/VA, auxílios e demais benefícios: reajuste somente em 2023
-Cesta básica: discutir incorporação no salário
- VR/VA – trabalhadores em afastamentos – equalizar os percentuais
- Fim do Adiantamento do 13º salário em fevereiro 
-Plano médico: discutir a copartipação e renovação do aditivo da lei 9656
-Locação de veículo – discutir o modelo atual.
-Teletrabalho - manutenção das atuais condições

Essas premissas da empresa foram rechaçadas pela comissão de negociação, enfatizando que foi entregue uma pauta dos trabalhadores com muitos outros itens. E que essa pauta sim, deveria ser analisada. E não como foi feito, desrespeitando as assembleias e desconsiderando um documento legítimo composto pelos trabalhadores e aprovado em assembleias. 

Não às precarizações! Queremos avançar e conquistar melhorias para todos os trabalhadores da Vivo. Afinal, eles trabalham na maior empresa de telecomunicações do Brasil e que é uma potência mundial, graças ao trabalho de todos.

PPR 2022 – a empresa NÃO apresentou data para pagamento de antecipação
A comissão de negociação cobrou o pagamento do adiantamento do PPR, pois já é uma tradição ser pago na folha de julho e todos os trabalhadores já contam com isso.

A empresa respondeu que não tem como realizar o adiantamento se não concluir as negociações de ambos os acordos.

Em resposta à categoria, a comissão do SINTTEL/FENATTEL afirma que, desde o início do ano, chama a empresa para negociar o PPR. Mas a empresa ignorou, enrolou e não agendou reuniões. A Vivo está mudando as ‘regras do jogo’ em não adiantar o pagamento, uma vez que a mesma adiou as negociações do PPR e decidiu, em cima da hora e de forma unilateral, negociar junto com o Acordo Coletivo. 

A comissão que representa os trabalhadores ficou revoltada com essa postura e solicitou que a empresa faça a antecipação como de costume, para atender e reconhecer seus trabalhadores até porque muitos já têm compromissos agendados com esse dinheiro.

As negociações continuam. Nova reunião está agendada para a próxima segunda-feira, 11/07.

Sozinho o problema é seu. Juntos o problema é nosso!

Saudações Sindicais,

 
DIRETORIA SINTTEL







Compartilhar esse contedo