contato@sinttelmt.com.br


(65) 3623-4288

 Mais uma vez a VIVO extrapolou seus limites e insiste em manter a mesma proposta indecente apresentada anteriormente, só restando então levar a proposta para apreciação dos trabalhadores e caso seja rejeitada encaminhar a dissídio de greve, onde cobraremos o que já vem sendo tirado dos trabalhadores a anos e chegou a hora de exigirmos a unificação de salários e benefícios entre todos os empregados, afinal  aqui não é lugar para termos trabalhadores “de segunda classe” recebendo diferente dentro da mesma empresa.

Depois da 6ª rodada de negociações a empresa teve a oportunidade de  apresentar uma proposta de acordo e coerente com seus resultados que nos últimos anos o grupo amealhou um patrimônio digno de Banco, ou seja US$ 153 bilhões em 18 anos e quer rasgar essa história da qual seus empregados foram parte essencial, trazendo a pior proposta entre todas as operadoras!!

CONFIRA OS RESULTADOS DA VIVO

·        EBITIDA de r$ 3,7 bilhões, crescimento de 33,8% só no terceiro trimestre

·        Aumento na receita da dados de 26,3%

·        Aumento de 9,7% de clientes pós-pagos

 

O QUE ELA IMPÕE A SEUS EMPREGADOS?

 

·        Um modelo de gestão pior que de empresas de fundo de quintal

·        A VIVO mantém os trabalhadores divididos recebendo PPRs de 2,2 salários e 1 salário de target,;

·        VRs de R$ 550,77 a R$ 1.046,46,;

·        Cestas básicas  para alguns  trabalhadores  R$ 171,45 e para outros de R$ 342,90,

·        Planos médicos diferenciados ;

·        Auxílio creche não estendido aos pais trabalhadores de campo e lojas.

 

 

Ou seja, uma autêntica Torre de Babel. A Vivo não quer elevar o piso salarial dos seus trabalhadores de campo, que é 30% menor que o piso das contratadas terceirizadas para a mesma função. Uma vergonha! Importou o modelo atrasado da GVT e tinha  assumido o  compromisso  de igualar gradativamente isso.

 

A Isonomia salarial é liquida e certa num julgamento de Dissidio de Greve já que estamos negociando só cláusulas econômicas.

 

OS TRABALHADORES NÃO TEM NADA A PERDER

 

Na mesa de negociações, a empresa vem fazendo ameaças de aplicar unilateralmente as regras da reforma trabalhista, tais como: banco de horas com seis meses de compensação, trabalho intermitente e jornada extensiva (que torna feriado dia comum de trabalho).

 

CONFIRA A PROPOSTA INDECENTE QUE A EMPRESA INSISTE EM MANTER E QUE SERA LEVADA PARA APRECIAÇÃO DOS TRABALHADORES A PARTIR DA PROXIMA SEMANA:

 

·         AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO:

        Reajuste de 1,73%, a partir de abril/2018

 

·        TRABALHADORES DE CAMPO: 

         Eliminar a Cesta Básica.

         Incorporar  68%  do valor do benefício  no  salário  nominal  e   no

          Piso Salarial a partir de janeiro/2018

 

·        REAJUSTE SALARIAL: 0%

         Pagamento  de  um  abono  indenizatório  equivalente  a   35%   do         

         salário  nominal (exceto para executivos, aprendizes e estagiários).

         Correção  dos  salários  nominais  e  pisos e m 1,73%  a  partir  de

         agosto/2018 (exceto para executivos. aprendizes e estagiários)

 

·        DEMAIS BENEFÍCIOS:

         Reajuste de 1,73% a partir de setembro/2017

 

·        ALUGUEL DE VEÍCULOS:

          ZERO DE REAJUSTE